Iema da capital recebe investimento de mais R$ 2 milhões

A partir da próxima semana, serão realizadas audiências públicas para a definição dos cursos a serem ofertados pelo Iema

Por Josemar 17/03/2016 - 19:51 hs

O governador Flávio Dino assinou, na manhã dessa quarta-feira, a Ordem de Serviço para a reforma e adequação predial do antigo Colégio Marista, que será, a partir de janeiro do próximo ano, o Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) - Unidade Marista.

“Vamos dar um grande salto como outros estados do Nordeste fizeram há algumas décadas atrás. Estamos correndo atrás do prejuízo para que a educação do Maranhão tenha mais qualidade, como os estudantes, professores, comunidade escolar e os pais desejam que aconteça”, destacou o governador Flávio Dino, quando também destacou que esteve reunido na terça-feira, dia 10, com o ministro da Educação, Aloízio Mercadante, que garantiu a parceria do Governo Federal em relação a equipamentos, laboratórios e mobiliários do Iema.
Acompanhando o governador, o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Bira do Pindaré, afirmou que este “é um grande passo para a educação profissional do Maranhão”. O investimento será de dois milhões e cinquenta mil reais. Ao falar da criação da rede de Educação Profissional do Maranhão, da qual o Instituto é um dos instrumentos principais, Bira do Pindaré informou que a previsão é construir 23 unidades até 2018.
Destas, três serão entregues à população já no próximo ano. “Estamos muito empolgados porque, além de uma estrutura adequada, temos um modelo pedagógico com escolas em tempo integral, garantindo a educação profissional. O jovem que passar por uma escola dessas já vai concluir o Ensino Médio tendo, também, o Ensino Técnico e a chance de se incorporar de imediato ao mercado de trabalho”, reforçou o secretário, que defende o Iema da capital como a unidade de referência para o Estado.
Foto: Divulgação.
Divulgação

Fachada do Colégio Marcelino Champagnat , que passará por reformas

A obra será realizada em parceria com a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra). O titular da pasta, Clayton Noleto, reiterou a importância da Ciência e da Tecnologia para o desenvolvimento econômico do Estado. “Este é um grande projeto do governo Flávio Dino, que estará presente em todas as regiões do Estado, e pretende elevar o conhecimento científico e tecnológico dos jovens dessa e de outras gerações”. Ele explicou que a reforma se dará em duas etapas. Na primeira, serão feitas as pequenas intervenções, que visam adaptar o prédio na parte interna. Depois, serão feitas intervenções maiores, o que inclui o Ginásio, laboratórios, refeitório e salas de aula.
Na oportunidade, a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, realizou a entrega de equipamentos para auxiliar os professores e alunos do antigo Marista. São computadores, estabilizadores, aparelhos de DVD, roteadores de internet, um Datashow para cada sala de aula, além dos armários de aço para os estudantes. A partir de 2016, a Secretaria e o administrativo do Iema, passarão a funcionar em uma parte da área do antigo Marista. A estrutura já está sendo levantada e tornará mais democrático o acesso das pessoas aos órgãos.
A partir da próxima semana, serão realizadas audiências públicas para a definição dos cursos a serem ofertados pelo Iema. Já foram marcadas três: em Bacabeira, Pindaré-Mirim e em São Luís, na Assembleia Legislativa. “Temos um ambiente muito favorável, as coisas estão acontecendo em um prazo adequado e, pelo menos, três dessas unidades serão entregues até fevereiro do ano que vem. O projeto pedagógico está em pleno andamento e contamos com a importante parceria do Instituto de Co-responsabilidade pela Educação”, informou o secretário Bira do Pindaré.
De acordo com o secretário, tudo isso está aliado a um momento fundamental para a história da educação no Maranhão. “O concurso público de 1.500 vagas é um marco para a educação pública do Estado. Um Estado que não olhava da forma prioritária para essa necessidade”, complementou. Somente em 2015, foram mais de 13 mil professores promovidos, além de um dos maiores reajustes salariais do Brasil.
“A nossa preocupação primeira é com os personagens mais importantes do processo educativo, que são os professores e as professoras. São os líderes de fato de uma nova fase na história do Maranhão. Queremos educadores motivados, qualificados, formados, valorizados, capazes de ser referência não apenas para os seus alunos em sala de aula, mas para a sociedade. Referência de novos princípios que devem sintetizar essa fase”, pontuou o governador.
Flávio Dino, que estudou no Marista, afirma que foi na escola que se tornou cidadão e militante político. “É um prédio que tem uma grande tradição. Comecei a estudar em 1974 e sai em 1985. Passei, com certeza, os momentos mais belos e esperançosos aqui, onde disputei minhas primeiras eleições como líder de turma, e venci. Era uma ótima escola, só que paga. A nossa meta é fazer uma escola muito melhor do que a de origem, mas pública e gratuita”, acentuou o governador Flávio Dino.