Nota de repúdio OAB-MA contra ação que agrediu o advogado Megaron na campanha das eleições 2016 em Bom Lugar

A ofensa a um advogado atenta contra toda a classe, assim, sempre que um profissional em advocacia for desrespeitado por alguma autoridade

Por Josemar 07/10/2016 - 21:13 hs

NOTA

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Maranhão, repudia de forma veemente os atos de violência física e moral cometidos pela Polícia Militar, no município de Bom Lugar, contra o advogado Dr. Hugo Megaron. A Comissão de Defesa das Prerrogativas da OAB-MA, na pessoa do seu presidente, Pedro Augusto Souza de Alencar, ressaltou que manteve contato com Dr. Hugo à época do abuso e que tomará todas as medidas contra os policiais, judicial e administrativamente.
A ofensa a um advogado atenta contra toda a classe, assim, sempre que um profissional em advocacia for desrespeitado por alguma autoridade, terá a seu lado a OAB/MA.

É possível constatar que, pelas imagens da agressão divulgadas na internet, a vítima, em momento algum, teve qualquer comportamento que oferecesse risco ou resistência aos policiais. Pelo contrário, apenas foi chamado por populares já que os agressores estavam abordando cidadãos de forma truculenta, inclusive militares da reserva, momento em que tentou dialogar e foi ofendido. Tal fato demonstra o despreparo e a total incapacidade dos agressores de se comportarem a altura da farda que vestem ou da autoridade que portam, manchando a reputação de tão honrosa e importante atribuição, fundamental para a segurança dos cidadãos e para a manutenção da paz social.
A OAB-MA reafirma seu comprometimento com a dignidade da pessoa humana e lastima que, figuras públicas, no exercício de servir à sociedade, possam praticar à violência num claro desrespeito aos Direitos Humanos e ao Estado Democrático de Direito.

A MATÉRIA

Uma confusão iniciada na cidade de Bom Lugar, no Maranhão, quase terminou em tragédia. Pelo vídeo, é possível observar-se a briga entre Policias Militares e um cidadão que é advogado do município.

A ação truculenta ocorreu antes da eleição, tendo como vítima Dr. Hugo Megaron, que trabalha na cidade. Ele relatou ter sido desrespeitado no exercício de sua função e ainda ter sido abordado de forma violenta pelo capitão da PM Rawlinson.

O advogado estava na companhia de seu pai que também foi agredido pelo militar. O estado hoje é de consternação devido o ocorrido.

Por diversas vezes, em alto e bom tom o PM diz: “Quem manda aqui?”, ” Me respeita”, ” Quem manda aqui é a polícia”.

Do Blog do Carlinhos http://www.carlinhosfilho.com.br/2016/10/capitao-da-pm-age-de-forma-truculenta-e.html