Atuações do Brasil: destaque, Gabriel Jesus transforma presente em golaço

Atacante briga muito sem Neymar, peca ao enfeitar demais alguns lances, mas é o melhor da vitória da Seleção sobre a Venezuela, com direito a cobertura no goleiro

Por Josemar 12/10/2016 - 08:04 hs

Alisson (goleiro)
A Venezuela pouco finalizou com correção. Na mais perigosa delas, fez grande defesa em cabeçada do atacante Rondón. Nota: 6,0

Daniel Alves (lateral-direito)
Atuação boa taticamente. Dedicado para perseguir o rápido Peñaranda nos contra-ataques e inteligente ao tentar construir tabelas com Willian, mesmo poucas tendo dado certo. Nota: 6,0

Marquinhos (zagueiro)
Bem posicionado, sofreu com a força do jogo físico do atacante Rondón, mas saiu-se bem na grande maioria dos duelos. Nota 6,0

Miranda(zagueiro)
Espantosa tranquilidade nos desarmes e nenhuma cerimônia quando sentiu que precisava fazer uso do chutão para cima. Ótima atuação, digna de quem tem Thiago Silva no banco. Nota: 7,0

Filipe Luís(lateral-esquerdo)
Um pecado no segundo tempo, quando permitiu a entrada em velocidade de Guerra, mas no resto, atuação consciente e cautelosa. Nota: 6,0

Fernandinho (volante)
Deu sempre opção para a saída de bola. Acertou a recomposição do meio-campo durante o jogo e, mais uma vez, se destacou.. Nota: 6,5

Paulinho(meia)
Sua leitura de jogo é muito boa, vide o número de chances que tem. Sempre no lugar certo, mas falta algo. Parece estar sem a agilidade suficiente para acertar a conclusão. Pela liberdade que encontra, sua evolução pode ser chave para a Seleção. Nota: 6,0

Renato Augusto (meia)
Inteligente demais ao ocupar o meio-campo, embora tenha cometido erros de recomposição no primeiro tempo. Deu a assistência para o gol de Willian na etapa final. Seu inconformismo com erros que cometeu na área adversária chamou atenção. Nota: 6,5

Willian(meia)
Incisivo pela direita, demorou a acertar as conclusões das jogadas, mas apareceu bem demais na área para marcar o segundo gol do Brasil. Sempre uma boa opção ofensiva, embora, ao contrário de Neymar, tenha sido mais meia do que atacante. Nota: 6,5

Philippe Coutinho (meia)
Individualizou demais alguns lances, mas quase sempre conseguiu clarear a jogada. Faltou força e precisão nas finalizações para transformar seu bom posicionamento em gols. Nota: 6,5

Gabriel Jesus (atacante)
Melhor do Brasil em campo. Não só pela absurda tranquilidade / personalidade / precisão no primeiro gol, quando transformou o presentaço do goleiro num golaço. Sem Neymar por perto, escorou muitos lançamentos com o peito, se protegeu, brigou no corpo. O maior pecado foi não ter simplificado alguns lances. Fica o aprendizado. Nota: 7,5

Giuliano (meia)
Entrou aberto, diferente de como Tite acha que ele rende mais. Tentou fechar mais a linha de marcação. Nota: 5,0

Taison (atacante)
Entrou no fim. Sem nota