Mercedes no topo, Renault no muro e Williams parada: o 1º dia de treinos da F1 em 2017

Hamilton lidera a segunda sessão de treinos livres para o GP da Austrália e termina dia na ponta da tabela. Palmer bate no muro e interrompe sessão. Com pane no FW40, Massa abandona treino logo no início

Por Josemar 24/03/2017 - 05:39 hs

A Fórmula 1 está de volta. Com ela retorna também a queda de braço entre as principais equipes da categoria. E na madrugada desta sexta feira, a Mercedes mostrou que tem a faca e o queijo na mão para conquistar mais títulos, em 2017, ao terminar o dia na ponta da tabela de tempos de maneira confortável, em Melbourne, Austrália. Muito veloz, Lewis Hamilton dominou as duas sessões de treinos livres e colocou o time alemão no topo, com a marca de 1m23s620, superando a pole position de 2016 no Circuito de Albert Park, registrada pelo próprio plioto britânico (1m23s837). A pouco menos de 0s5, Sebastian Vettel apareceu em segundo (1m24s167), seguido de Valtteri Bottas (1m24s176), Kimi Raikkonen (1m24s525) e as duas RBR, com Daniel Ricciardo, em quinto (1m24s650) e, Max Verstappen, em sexto (1m25s013).

Palmer inaugura o muro em 2018 e Williams de Massa sofre pane

Coube a Jolyon Palmer a ingrata tarefa de provocar a primeira bandeira vermelha de 2017. Em volta rápida, o britânico perdeu a traseira da sua Renault na última curva, virou passageiro e acabou no muro, encerrando sua participação na segunda sessão de treinos livres em último lugar, com 1m27s549, e apenas quatro voltas completas. Já o companheiro Nico Hulkenberg, terminou em nono, com 1m25s478, e 36 voltas completas.

Batida de Palmer provoca bandeira vermelha.

Quem também precisou deixar a pista mais cedo foi Felipe Massa. Duas voltas depois do incidente provocado por Palmer, o brasileiro sofreu um problema mecânico na sua Williams e precisou para o carro na área de escape, terminando a sessão com o 14º tempo (1m26s331). Dos boxes da Williams, o brasileiro assistiu o jovem Lance Stroll terminar o treino na 16ª colocação, com 1m26s525.

Escapadas de Grosjean, Verstappen e Ericsson

Romain Grosjean, Max Verstappen Marcus Ericsson também tiveram problemas para segurar as novas máquinas da F1, mais largas, agressivas e nervosas. O francês chegou a sair da pista duas vezes, retornando em seguida. Já o sueco, rodou durante a frenagem e foi parar na brita, encerrando o treino com pouco menos de cinco minutos para o fim. Apesar do incidente, Romain conseguiu um resultado expressivo para a Haas, ao terminar a atividade na oitava colocação, com 1m25s436. O menino Verstappen também sofreu após passear na brita, danificando o assoalho do RB13. Com isso, Max precisou retornar aos boxes e ficou com o sexto melhor tempo, logo atrás do companheiro de equipe, Daniel Ricciardo.

STR é grata surpresa

Enquanto muito foi dito sobre a Force India ser uma das quatro maiores forças, o time que chamou atenção mesmo foi a STR. Além Carlos Sainz ficar com um expressivo sétimo lugar, atrás apenas de Mercedes, Ferrari e RBR, Daniil Kvyat foi quem mais completou voltas na tarde desta sexta, em Melbourne, com 39 giros completos.

Os carros retornam à pista do circuito australiano na madrugada deste sábado, às 00h00 (horário de Brasília), para o terceiro treino livre, e às 03h00 para a classificação que define o grid para a corrida de abertura de 2017.