Fla chega a Barranquilla, e Cuéllar alerta sobre calor: "Fazer jogo inteligente"

Rubro-Negro desembarca na Colômbia, e volante, ex-jogador do Junior, se diz em casa. Nesta quarta, por volta de 22h (de Brasília), faz o reconhecimento do gramado do Estádio Metropolitano

Por Josemar 29/11/2017 - 10:56 hs

O Flamengo chegou a Barranquilla na noite desta terça-feira, por volta de 23h15 (horário de Brasília). A equipe desembarcou no Aeroporto Internacional Ernesto Cortissoz e seguiu para o hotel onde ficará hospedada, cerca de meia hora longe do Estádio Metropolitano, palco da partida de volta da semifinal da Sul-Americana, quinta-feira, às 22h30, contra o Junior Barranquilla.

O Rubro-Negro viajou a Colômbia em voo fretado, com escala em Manaus. A viagem, ao todo, teve cerca de sete horas e meia. Se viajasse em voo de carreira, com escala em Bogotá (opção mais utilizada para chegar a Barranquilla), levaria quase 10h.

Colombiano e ex-jogador do rival rubro-negro, o volante Cuéllar falou com a imprensa na chegada ao hotel. Garantiu se sentir em casa, mas fez alerta para o calor no local.

- Me sinto em casa, claro. Só de chegar... Já tenho falado para eles. O Velasco (preparador físico) também conhece, o Rueda também jogou muitas vezes aqui. Temos conhecimento disso. Temos de fazer um jogo inteligente. Não podemos atacar toda jogada, o calor é sentido, mas temos de procurar o resultado, independentemente do ambiente. Se queremos nos classificar à decisão, temos de buscar o resultado.

Cuéllar também defendeu o goleiro Alex Muralha, que foi alvo de xingamentos no embarque do Flamengo para Barranquilla por causa das falhas na partida contra o Santos.

- Sei da grande pessoa que é o Alex. É um grande profissional, um grande goleiro, não à toa foi convocado à seleção. Estamos juntos dele, se for o goleiro titular vamos apoiar. Se for o César também vamos apoiar. Todo mundo tem de estar junto em campo. Temos pressão até no treinamento no Flamengo - completou.

O embarque do Flamengo a Colômbia foi tumultuado. O goleiro Muralha, que falhou nos dois gols do Santos na derrota por 2 a 1 do último domingo, foi ofendido. A Polícia Militar teve de fazer a segurança da delegação antes da viagem para o jogo decisivo da Sul-Americana.

Os policiais acompanharam o goleiro até o portão de embarque internacional do aeroporto. Um dos torcedores ameaçou: "Se não ganhar isso aqui vai virar um inferno". Outros jogadores, como Cuéllar, Diego e o goleiro César, ouviram palavras de incentivo antes da viagem.

Veja a lista de jogadores que viajaram à Colômbia:

GOLEIROS: Alex Muralha, César e Thiago
LATERAIS: Pará, Rodinei, Renê, Trauco e Klebinho
ZAGUEIROS: Juan, Réver, Léo Duarte e Rhodolfo
MEIAS: Cuéllar, Arão, Romulo, Márcio Araújo, Gabriel, Mancuello, Diego, Éverton Ribeiro e Paquetá
ATACANTES: Vizeu, Lincoln, Geuvânio e Vinicius Junior