Polícia prende chefes de torcidas organizadas e leva dirigente de clube no RJ para depor

Outros dirigentes de clubes também são alvos de condução coercitiva. Investigações identificaram ligações promíscuas entre dirigentes e as torcidas.

Por Josemar 01/12/2017 - 08:37 hs

Policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), em conjunto com o Ministério Público e com o Juizado Especial do Torcedor, prenderam, na manhã desta sexta-feira (1), três líderes de torcidas organizadas de times de futebol do Rio. Os agentes ainda cumpriram um mandado de condução coercitiva contra um dirigente do Botafogo.

Por volta das 6h, foram presos Manuel de Oliveira Menezes, presidente da Young Flu, que estava em casa em um condomínio fechado em Quintino, na Zona Norte do Rio, Luiz Carlos Torres Júnior, o Fila, vice-presidente da Young Flu, e Ricardo Alexandre Alves, o Pará, presidente da Força Flu.

A polícia também cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do vice-presidente de Estádios do Botafogo, Anderson Simões, em Copacabana, na Zona Sul do Rio. Simões também foi levado para delegacia, alvo de condução coercitiva. Ainda não há informações sobre o que foi apreendido na casa dele.

Alesson Galvão de Souza, presidente da Raça Fla, e Felipe Ferraz de Souza, o Fil, presidente interino da Fúria Jovem do Botafogo, também foram levados para prestar depoimento.

Fil está à frente da Fúria desde a prisão de Luis Felipe Fonseca da Silva, o “Canelão”, presidente da Fúria, que está preso desde agosto, depois de uma briga entre torcedores do Botafogo e do Flamengo. Na época, 49 torcedores foram detidos.

Segundo a polícia, durante as investigações foi identificada uma relação promíscua entre clubes e torcidas organizadas, algumas delas banidas dos estádios pela Justiça. Apesar disso, líderes dessas organizadas recebiam regularmente ingressos que eram repassados para cambistas e vendidos com ágio.

Ao todo, serão cumpridos 4 mandados de prisão, 8 de condução coercitiva e 14 de busca e apreensão. Também serão cumpridos mandados no Engenhão, em São Januário, no Maracanã, na Zona Norte, e nas Laranjeiras, na Zona Sul.

Suspeito de participar de morte de torcedor do Flamengo é preso

Nesta quinta (30), uma outra operação prendeu mais um integrante da torcida organizada Força Jovem do Vasco suspeito de participar na morte de um torcedor do Flamengo. Adriano Marcondes estava com o grupo que participou de uma briga e atirou contra a vítima no fim de outubro.

O delegado Allan Duarte afirmou que quatro pessoas suspeitas do crime já foram identificadas, duas estão presas e outras duas foragidas. Apesar disso, ele acredita que outras pessoas envolvidas no caso tenham fugido do estado. Os suspeitos teriam ido para o Nordeste e estariam foragidos em sedes de torcidas parceiras.

"A Força Jovem é uma organização criminosa, que se traveste de torcida, mas dentro dela há uma disputa de poder. Isso ficou bem claro quando a gente capturou o Adriano hoje. Hoje fomos atrás de três envolvidos no crime, um foi capturado e dois estão foragidos", disse o delegado Allan.

A Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo também investiga se há ligação com torcidas de outros estados para cometer crimes, e se os três suspeitos cometeram outros crimes. Os suspeitos vão responder por homicídio doloso e dois homicídios tentados.