As ações desempenhadas na Saúde de Bom Lugar sob a crise do País e sem apoio do Gov. do Estado

Os desafios, conquistas heroicas de uma administração no enfrentamento de tantos obstáculos

Por Josemar 05/01/2018 - 21:45 hs

O ano de 2017, na gestão da Prefeita Luciene Costa, sob o comando do secretário municipal de saúde Jeferson Carvalho, a secretaria municipal de saúde prestou atendimentos relevantes à população, não medindo esforços para reativar serviços, e implantar serviços tais como: Fonoaudiologia, Ultrassonografia, Teste do pezinho, fisioterapia, Realização de Testes Rápidos (HIV, SIFILIS, HEPATITE B), Atendimentos fora de domicílios (TFD), além de restaurar o funcionamento das UBS, nos povoados: Olho D’água dos Mirandas e Santa Luzia II; além de levar atendimento a população no povoado Auto Bonito. Contamos ainda, com a descentralização do prédio e Reforma da Secretaria Municipal de Saúde, bem como a Vigilância Sanitária em prédio próprio.

Diversos atendimentos gerais foram realizados com o apoio da UBS Maria Naildes, funcionando em horário especial semanal diurno, bem como plantonistas enfermeiros e técnicos aos finais de semanas (24 horas), como: Mutirões do Glaucoma (3 por ano), Cruz Vermelha (ações durante 1 semana, em sede e nos povoados), Carreta da Mulher (Preventivos e Mamografias), prevenções as doenças; Dengue, com o carro fumasse (3 dias), e visitas domiciliares com os agentes de combates as Endemias e agentes Comunitários de Saúde.

Estes e outros resultados positivos são sinônimos de uma administração voltada ao bem está de uma boa saúde básica a toda população do município.

Além da falta de empenho por parte do poder governamental do Estado ao nosso município a administração Luciene Costa tem se esforçado o máximo para manter sempre o melhor do básico em saúde em Bom Lugar, sem apoio do Estado a administração Luciene Costa tem sido guerreira no enfrentamento das dificuldades e obstáculos para oferecer o melhor para o nosso povo.

AGORA LEIA  E NOTE A DIFICULDADE DE UM MUNICÍPIO SEM APOIO DO GOVERNO E DIANTE DA PRECÁRIA SITUÇÃO DO PAÍS. 

A saúde pública no Brasil enfrenta diversos problemas e quem acaba sofrendo as consequências da péssima administração e da falta de serviços públicos de qualidade são os cidadãos que pagam altos impostos e não tem retorno em serviços sociais com qualidade. Como solucionar essa questão?

Seja, no Sudeste, Nordeste, Norte ou Sul em ambas as regiões as pessoas convivem diariamente com os péssimos serviços de saúde que é prestado à população. Essa situação configura um verdadeiro descompromisso por parte dos governantes, sem contar à discrepância que existem quanto a quantidade que é investida em saúde nas principais capitais do país.

Entre as principais falhas estão a inexistência de critérios técnicos para a implantação dos hospitais; a falta de aprovação de órgãos competentes, como Corpo de Bombeiros e Vigilância Sanitária; e a carência de cronograma para compra e instalação de equipamentos e contratação de servidores. “Os fatos ocasionaram alterações de projetos e serviços durante a execução das obras, culminando na celebração de termos aditivos e prorrogações de prazos”, informa o parecer do TCE, baseado em inspeção realizada.

Não distante desta realidade, o município de Bom Lugar-MA, distante da capital 286,9, km que sofre com a ausência de hospital adequado, com infraestrutura hospitalar,  a população obriga-se e sujeita-se a desloca-se até cidades vizinhas em busca de tratamento.

O único prédio que seria o Hospital da cidade construído em 2008 na administração do ex-Prefeito Marcos Miranda nunca funcionou o mesmo foi mal construído totalmente inadequado para o funcionamento, o mesmo foi condenado. E a comunidade bonlugarense seguiu com apenas a pasta básica na saúde.  

E assim, sem apoio do governo do Estado nos esforçamos para oferecer o máximo possível de uma saúde básica a nossa população de Bom Lugar. Além dos esforços não conseguimos evitar em algumas vezes faltar com a precisão necessária em alguns casos, e entre eles não falta oportunista opositor para usar da situação fazendo favor de má fé só para atingir a administração, isso sim é um absurdo e uma total hipocrisia.

Mais mesmo assim continuaremos incansavelmente buscando da melhor forma possível fazer o melhor que podemos para atender os anseios e as necessidades do nosso povo.

Veja mais algumas ações da saúde clicando aqui